Nasa diz que animais mortos no espaço ‘deram suas vidas’ pelo ‘avanço tecnológico’

Posição imputa um tipo de masoquismo nos animais.

nasa animais no espaco
Trecho retirado do site da Nasa, afirmando que os animais “deram suas vidas… em nome do avanço tecnológico”

Em um artigo em seu site oficial, chamado “Uma breve história dos animais no espaço“, a Nasa afirma que os animais mortos em testes espaciais “deram suas vidas e/ou seus serviços em nome do avanço tecnológico”.

O texto, publicado em 2 de agosto de 2004, ainda alega que “esses animais realizaram um serviço aos seus respectivos países que nenhum ser humano poderia ou teria realizado”.

“Úteis” ou não, os animais nunca escolheriam fritar ou morrer de estresse no espaço. Essa alternativa apenas seria possível se fosse comprovado um masoquismo nas outras espécies, ou seja, se gostassem de sofrer e sentir dor. Mas não há nenhuma evidência científica que corrobore tal posição.

Quando se trata da experimentação animal, os defensores da ciência (ruim) não se envergonham em usar argumentos supersticiosos que imputam às outras espécies características jamais comprovadas ou minimamente confirmadas pela metodologia científica. Ironicamente, alguns destes são os primeiros a dizer que os animais não têm sentimentos; o que dizer então de capacidade de “escolha” – nesse caso, pela dor?

Anúncios

Uma resposta para “Nasa diz que animais mortos no espaço ‘deram suas vidas’ pelo ‘avanço tecnológico’”

  1. Republicou isso em Paulosisinno's Bloge comentado:
    Cpt. da página O Holocausto Animal​: “Em um artigo em seu site oficial, chamado “Uma breve história dos animais no espaço“, a Nasa afirma que os animais mortos em testes espaciais “deram suas vidas e/ou seus serviços em nome do avanço tecnológico”.

    O texto, publicado em 2 de agosto de 2004, ainda alega que “esses animais realizaram um serviço aos seus respectivos países que nenhum ser humano poderia ou teria realizado”.

    “Úteis” ou não, os animais nunca escolheriam fritar ou morrer de estresse no espaço. Essa alternativa apenas seria possível se fosse comprovado um masoquismo nas outras espécies, ou seja, se gostassem de sofrer e sentir dor. Mas não há nenhuma evidência científica que corrobore tal posição.

    Quando se trata da experimentação animal, os defensores da ciência (ruim) não se envergonham em usar argumentos supersticiosos que imputam às outras espécies características jamais comprovadas ou minimamente confirmadas pela metodologia científica. Ironicamente, alguns destes são os primeiros a dizer que os animais não têm sentimentos; o que dizer então de capacidade de “escolha” – nesse caso, pela dor?”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s