Ser contra a crueldade desnecessária é ‘revolucionário’?

Questão foi ponderada pelo filósofo James Rachels.

focinho porco

No livro “As Implicações Morais do Darwinismo” (tradução livre), publicado em 1990 pela Oxford University Press, o filósofo norte-americano James Rachels discute se o vegetarianismo decorre de uma postura “revolucionária” ou “conservadora”:

“[…] o oposto é verdadeiro: a norma contra causar dor desnecessária é a menos excêntrica dentre todos os princípios morais, e essa norma leva direto à conclusão de que deveríamos abandonar a produção de carne e adotar dietas alternativas. Considerado por esse ângulo, o vegetarianismo pode ser visto como uma postura moral severamente conservadora.” (pág. 212)

Anúncios

Uma resposta para “Ser contra a crueldade desnecessária é ‘revolucionário’?”

  1. ser vegetariano ou vegano é ético e moral, e de obrigação de qualquer cidadão de todo o planeta terra, em deixar os as animais ñ humanos terem direitos a liberdade e direitos de viver, portanto é evolução, quem pensa e pratica assim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s