Órgão federal diz que é possível abolir o uso de animais em cursos de psicologia

Posicionamento contraria alegação de que uso animal seria imprescindível para graduação em psicologia.

Formação sem uso de animais já é uma realidade em países como Alemanha e Inglaterra – Brasil ainda precisa avançar na questão.
Formação sem uso de animais já é uma realidade em países como Alemanha e Inglaterra

Em resposta eletrônica, recebida no dia 9 de junho de 2015, o Concea – Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal reconheceu que é possível graduar-se em psicologia sem o uso de animais. O órgão ainda diz que o uso de animais na disciplina de fisiologia se tornou obsoleto com o avanço da tecnologia.

Abaixo, segue um trecho da mensagem:

“[…]

O CONCEA estimula o desenvolvimento e adoção de métodos alternativos de ensino. Tais métodos apresentam vantagens e limitações. Sua adoção depende de fatores como o projeto pedagógico do curso, a existência ou não de atividade de pesquisa na instituição, a infraestrutura disponível e a liberdade acadêmica do docente (prática docente), respeitados os preceitos éticos e legais.

– Em relação à disciplina de Behaviorismo, em que o modelo vivo não teria a função de desenvolvimento de habilidades manuais, mas somente aprendizado de novo conhecimento pelo desenvolvimento da habilidade observacional o uso do modelo vivo pode ser substituído, ou praticado em ambientes naturais (zoológico, criadouros, etc).

– Quanto à formação em Psicologia, se não houver disciplina com o objetivo de desenvolver habilidades manuais, o uso de animais vivos pode ser substituído. Por exemplo, filmagens para serem reproduzidas nas aulas futuras ou utilizar a observação de animais em vida livre. No caso de profissionais que vão seguir a carreira de pesquisa com modelos animais, a capacitação com os mesmos é indispensável.

– Quanto ao ensino de Fisiologia, devemos considerar que o uso de animais tenha sido fundamental para o avanço do conhecimento cientifico. Entretanto, nas últimas décadas, o avanço considerável na tecnologia empregada na pesquisa cientifica tornou obsoleta a maioria das práticas desenvolvidas com animais em laboratórios de ensino, o que levou muitos cursos a abolirem tais atividades.

É possível aulas sem o uso de animais em Fisiologia, contanto que se utilizem recursos capazes de contribuir para a compreensão de processos dinâmicos que ocorrem no organismo vivo.

[…]”

Para conferir a mensagem integral, clique aqui.

Anúncios

2 respostas para “Órgão federal diz que é possível abolir o uso de animais em cursos de psicologia”

  1. Eu fiz o curso quando ainda haviam aulas com animais. Pouco tempo depois abandonaram o uso, e garanto, não fez a menor falta. Tudo que se aprendia com eles podia ser facilmente por outros métodos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s