Se você ama golfinhos, jamais pague para nadar com eles

A maioria das pessoas tem boas intenções quando vão para alguma excursão ou parque onde poderão nadar com golfinhos. Mas se elas tivessem consciência da verdade por trás do enganador sorriso desses golfinhos, ficariam horrorizadas em saber o que elas estão realmente financiando.

Golfinhos são capturados ilegalmente e vendidos para parques de diversão.
Golfinhos são capturados ilegalmente e vendidos para parques de diversão.

Muitos golfinhos considerados menos “atrativos” – e, portanto, menos lucrativos – são abatidos durante o processo de captura e vendidos como carne para consumidores desinformados.

golfinhos seaworld2

Os golfinhos são retirados de suas famílias e do seu habitat natural – até mesmo filhotes, que geralmente ficam com suas mães de três a seis anos de idade.

Na natureza, os golfinhos nadam mais de 100 quilômetros por dia, porém, em cativeiro ficam confinados em piscinas de concreto, tratadas quimicamente. Isso é especialmente traumático para eles, uma vez que se comunicam através da ecolocalização.

golfinhos seaworld3

Golfinhos de cativeiro muitas vezes são mantidos em grupos incompatíveis, e, por conta das condições precárias do local, eles são incapazes de escapar das brigas.

golfinhos seaworld4

Muitos deles desenvolvem condições dolorosas, como úlceras estomacais, já alguns morrem prematuramente por conta do estresse do cativeiro.

Várias doenças podem ser passadas dos golfinhos para os visitantes humanos, incluindo vírus e infecções bacterianas, como a salmonela. As pessoas também podem ser mordidas e ter ossos quebrados durante as visitas.

Por trás do show, morte e tortura constante.
Por trás do show, morte e tortura constante.

Nunca visite parques marinhos ou participe de sessões de nado com golfinhos. Saiba mais sobre a indústria por trás da captura de golfinhos, clicando aqui.

Fonte: PETA

Anúncios

13 respostas para “Se você ama golfinhos, jamais pague para nadar com eles”

  1. Ñ tenho mais palavras qdo se diz de bichinhos indefesos, q os humanos realmente são interesseiros.Tem q acabar c/ o especismo de uma vez por todas.

  2. Isso pq não foi mencionado a tortura que eles sofrem para ser adestrado e fazer gracinhas na frente do público, age choque dão nos pobrezinhos… Lamentável isso tudo 😦

  3. Nossa, espero que ninguém aí coma nenhum tipo de carne, vista couro na forma de sapatos, bolsas, cintos, ou no banco do carro. Ah, outro dia li que as plantas e até arroz cozido reagem positivamente ou negativamente à energia proveniente do entorno, ou seja, de seres humanos.
    Não sou a favor de maus tratos de animais, mas eu tenho um cachorro e sem que ele sofresse conseguimos ensinar-lhe a fazer suas necessidades no local correto. Não adestrei, mas muita gente adestra para truques e não vi nenhum animal ferido emocional ou fisicamente por isso.
    Sei que há gente e empresas que maltratam animais, mas se querem postar algo assim, vocês deveriam ir mais a fundo na questão para ter maior credibilidade, com fontes e provas de que golfinhos sofrem maus tratos, especificando quais são esses parques (conheço o documentário sobre o Sea World) e ter o cuidado de separar o joio do trigo. Sem ofensas, apenas uma sugestão.

  4. Oi Marcia, na verdade, você está em um blog vegano – aqui ninguém come carne ou utiliza qualquer produto de origem animal.

    O simples fato de prender um golfinho em cativeiro já é maus tratos. Não é só quando você bate e espanca um animal que isso é configurável como maus tratos, uma vez que partimos da premissa abolicionista: os animais não são nossos, ou seja, eles não estão aqui para servirem de entretenimento humano, como é o caso dos golfinhos que estão em parques de diversão.

    Ninguém precisa citar parque por parque: é errado em todos os lugares do mundo.

    Quanto às provas, há a indicação de um link que direciona para o documentário “The Cove” (A Enseada), que fala especificamente o que esses animais passam antes de chegarem aos parques. Eles não surgiram do nada. Todos foram capturados do seu habitat natural. De que forma isso poderia ser correto?

    Link do “The Cove”:

  5. Pra quem faz muita questão de ver um golfinho, há várias praias pelos Brasil onde você poderá admira – los em seu habitat natural, muito melhor não é? E não pense você que que apenas os vera de longe, você vai ve- los dando saltos, rasantes entre outras coisas há menos de 2 metros de você. Pra quem quer conhecer, visite a cidade de Cananéia, estado de São Paulo, e por lá pergunte como ir à ilha de pereirinha(não é caro, não). Abraços!

  6. Exatamente. É verdadeira a afirmação: “É a indústria do cativeiro que sustenta o massacre”. “Quem assistir o documentário saberá porque a vida dos golfinhos não é compatível a uma domesticação no mais espaçoso ou “confortável” cativeiro. O que aliáis deveria ser extendido a todo animal, cetáceo ou não. Tendo algo semelhante também acontecido com as baleias Orca, ‘Free Willy’. “

  7. Eu acho que o lugar dos golfinhos e em seu habitar natural com seu grupo ou sua familia, eles tb sentem fome, frio, ficam tristes e sentem saudades! oq eles fazem e uma covardia!

  8. Por favor, eu gostaria de saber sobre a apresentação e nado com golfinhos de Cancún, onde não é necessariamente um aquário, e sim uma delimitação feita dentro do mar… gostaria de saber se (além de obviamente o fato de estarem limitados no espaço) tem algo de errado com este lugar, é que uma amiga foi e qdo fui falar pra ela o quanto era errado, ela me veio com um monte de explicações (que os funcionário do parque dão) de que lá não ha nada de errado e que são felizes os golfinhos… como não conheço o assunto a fundo fiquei sem palavras… Gostaria de saber mais sobre la especificamente pra poder voltar ao assunto! Obrigada!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s