A propaganda de Miguel Nicolelis

Nicolelis tem sido citado na mídia como um dos “grandes cientistas brasileiros”, sendo considerado como “gênio” por muitas pessoas. Ele já deu declarações na mídia correlacionando a proteção animal com terrorismo, crime e ignorância [1]. Em suas aparições, Nicolelis faz questão de afirmar que a experimentação animal é completamente indispensável para o avanço da ciência e da medicina; uma alegação absolutamente irreal do ponto de vista metodológico. Nós vamos mostrar o porquê.

A insanidade de achar que a tortura leva ao progresso.
A insanidade de achar que a tortura leva ao progresso.

Nicolelis não esconde sua paixão pelas pesquisas que realizou sobre o exoesqueleto. Em meio à tortura de incontáveis macacos, que têm seus crânios abertos e eletrodos implantados de forma horripilante, o “Projeto Andar de Novo” revelou ser um dos grandes fracassos do ano de 2014, sendo classificado como tal pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) [2]. Mas ele tem tentado omitir este fato, que os próprios tetraplégicos reconhecem.

Diante das câmeras da Copa do Mundo, é inegável que o exoesqueleto não passou de um engodo. Sua promessa falhou. Pior do que isso: o chute foi dado em um tablado, e não na grama. O deficiente não levantou da cadeira e ainda estava escorado por dois assistentes. O trambolho era tão grande e pesado que teve que ser transportado por um carrinho de Golf adaptado, tornando-o inútil para um deficiente [3].

Suas pesquisas receberam cerca de R$33 milhões do governo federal brasileiro, com o dinheiro de impostos – ou seja, querendo ou não, o contribuinte financia estudos duvidosos, sem ao menos, na maior parte das vezes, saber disso [4]. Além disso, tais pesquisas têm irrefutavelmente caráter militar [5, 6]. Portanto, não se engane. Nicolelis não está preocupado em trazer movimento aos paralíticos.

As declarações de Nicolelis sobre os testes em animais não poderiam ser diferentes, afinal ele passou sua vida inteira matando, torturando e mutilando incontáveis animais [7]. Certamente, seu conceito subjetivo de ética é antropocentrista e julga que apenas os animais humanos devem ter seus interesses considerados.

Se já sabemos que os animais devem ter consideração moral como humanos, do ponto de vista da ciência, a própria comunidade científica reconhece que as pesquisas com animais são limitadas e devem ser abandonadas o quanto antes. Entretanto, estes dados permanecem ocultos pela mídia.

À quem interessa esse falso dilema? / Na imagem, cientistas nos perguntam se preferimos um rato ou uma criança.
A quem interessa esse falso dilema? (Na imagem, cientistas nos perguntam se preferimos um rato ou uma criança.)

Seria muito estranho supor que Nicolelis, juntamente com boa parte da comunidade científica, não teve o mínimo empenho em verificar as reais evidências da ineficácia da experimentação animal. Para evitar qualquer desculpa, você, leitor, poderá conferir nas referências, artigos importantes publicados em revistas respeitáveis, como o Journal of the Royal Society of Medicine e o British Medical Journal, que concluem a inutilidade deste campo marketeiro e pseudocientífico [8, 9, 10].

A propaganda de Miguel Nicolelis permanece viva, apesar de tudo. Em 2011 ele afirmou que em apenas 3 ou 4 anos conseguiria fazer pessoas paralisadas andarem novamente, comparando seu exoesqueleto com “a chegada do homem à lua”. Após falhar miseravelmente, disse que “estava no caminho certo” [11].

Mas o espetáculo de Nicolelis nunca convenceu a comunidade científica, como por exemplo Daniel Ferris, um neurocientista e engenheiro biomédico da Universidade de Michigan:

“Há muitas pessoas apostando que isso [o exoesqueleto] não tem nada de extraordinário, e que é realmente apenas arrogância.” [12]

Enquanto o governo joga o seu dinheiro no lixo, as “promessas” da pesquisa animal cada vez mais se revelam como inatingíveis e falsas. Fica a pergunta: quantos animais ainda teremos que torturar para reconhecer o óbvio?

“Geralmente, coisas terríveis que são feitas com a desculpa de que são necessárias para o progresso, não são progresso, mas apenas coisas terríveis.”
– Russell Baker

Referências

[1] Programa do Jô, 22/06/2011, à partir de 11min | YouTube

[2] The Top Technology Failures of 2014 | MIT

[3] Nicolelis acusa Fifa de cortar exibição de paraplégico na Copa | Folha de São Paulo

[4] Nicolelis divulga imagens do exoesqueleto a ser usado na abertura da Copa | Finep

[5] Robotic ‘Exoskeletons’ Could Help Soldiers Bear Heavier Loads | National Defense Magazine

[6] Ten extraordinary Pentagon mind experiments | BBC

[7] Miguel Nicolelis e a exploração animal | YouTube

[8] MATTHEWS, Robert AJ. Medical progress depends on animal models – doesn’t it?. Journal of the Royal Society of Medicine, v. 101, n. 2, p. 95-98, 2008.

[9] POUND, Pandora et al. Where is the evidence that animal research benefits humans?. BMJ, v. 328, n. 7438, p. 514-517, 2004.

[10] POUND, Pandora et al. Is animal research sufficiently evidence based to be a cornerstone of biomedical research?. BMJ, v. 348, 2014.

[11] The Wildly Ambitious Quest to Build a Mind-Controlled Exoskeleton by 2014 | Wired

[12] Is This Mind-Controlled Exoskeleton Science or Spectacle? | Wired

Anúncios

Uma resposta para “A propaganda de Miguel Nicolelis”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s