Você não precisa amar os animais para reconhecer que eles possuem direitos

Muitos julgam a causa animal de “sentimentalista” ou “emocional”, onde os veganos usariam a emoção para conseguir convencer as pessoas que os animais possuem direitos. Entenda o equívoco deste julgamento.

Os animais existem para seus próprios fins.
Os animais existem para seus próprios fins.

Os amantes da carne têm o prazer de alardear para todos os cantos que os veganos são hipócritas e vivem em um mundo de fantasia. A ideia, basicamente, é a seguinte: os carnistas argumentam que não são obrigados a deixar de comer carne ou explorar os animais, pois, de acordo com eles, ser vegetariano é uma escolha individualista. Porém, de fato, que tipo de escolha seria esta?

O movimento dos direitos dos animais é algo muito recente na história, por isso ainda enfrenta grandes resistências por parte da sociedade, uma vez que traz à tona uma revisão de valores conservadores e tradicionais, que são repetidos irracionalmente. Quando o movimento de abolição dos escravos se iniciou por volta do fim do século XIX, no Brasil, as resistências sociais e pessoais se apresentaram de maneira idêntica às observadas atualmente, ou seja, em nome de uma “tradição cultural”, os negros deveriam continuar sendo escravizados, subjugados, torturados e mortos – isso porque não falamos sobre o aspecto econômico. Na época da escravidão a maioria das pessoas achava tudo isso normal. Afinal, por qual motivo mudar?

Hoje, os animais enfrentam as mesmas resistências que os negros, oprimidos e excluídos passaram: são vistos como inferiores, objetos, coisas e produtos. As outras espécies são indefesas, por isso precisam de leis que as protejam. A sociedade não pode mais permitir que a ciência continue coisificando os animais; não podemos mais aceitar também que alguns indivíduos achem normal uma alimentação que tem origem em torturas e massacres, porque agora sabemos que é moralmente errado.

Você não precisa ser homossexual para reconhecer a igualdade sexual. Você também não precisa ser mulher para reconhecer que elas não devem ser inferiorizadas. Da mesma forma, você não tem que amar animais ao compreender que é errado escravizá-los. E se para você tudo isso não passa de uma “escolha” e “sentimentalismo”, então você realmente não entendeu nada sobre os direitos dos animais.

Anúncios

2 respostas para “Você não precisa amar os animais para reconhecer que eles possuem direitos”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s