A psicose induzida em macacos de laboratório

Os defensores da pesquisa animal costumam dizer que o seu controle é rigorosíssimo e que impede que os animais sofram inutilmente. Porém, a realidade dos laboratórios que estudam primatas não-humanos está muito longe de se encaixar nas mentiras de tais cientistas.

Uma visita ao inferno.

Uma visita ao inferno.

O modelo padrão de um laboratório, que faz estudos com primatas não-humanos, é a existência de gaiolas pequenas, com condições de privação alimentar e de espaço, onde os animais sequer ficam ao ar livre ou veem a luz do sol. Imagine você preso em uma situação como essa. Esse tipo de realidade ocasiona sérios problemas mentais nos animais utilizados nessas pesquisas. São seres com perturbações mentais profundas.

Uma investigação realizada pela PETA no Centro Nacional de Pesquisas Primatas do Oregon (ONPRC, sigla em inglês) constatou uma realidade terrível desses verdadeiros lugares de tortura. E não é exagero.

O ONPRC recebe cerca de 30 milhões de dólares por ano do governo americano, para a realização desses experimentos, em nome da “ciência”. Cerca de 4.200 primatas são confinados apenas no ONPRC. Durante os quatro meses de investigação da PETA, no ano de 2007, ficaram constatadas as seguintes situações:

  • Os macacos que ficavam doentes recebiam cuidados veterinários inadequados, além de medidas impróprias para o alívio da dor;
  • Os funcionários perseguiam os macacos nas gaiolas, para que conseguissem realizar a transferência para outro lugar, prendendo os braços desses animais;
  • Funcionários utilizam mangueiras de alta pressão para espirrar água nas gaiolas, porém sem tirar os macacos das mesmas;
  • Muitos macacos enjaulados exibem comportamento de psicose induzida por estresse, com automutilação, arrancamento de cabelo e ficar rodando na gaiola freneticamente. Em um caso específico, um macaco retirou 90% do próprio cabelo;
  • Em um dos experimentos, os macacos são expostos a altos níveis de nicotina, a fim de produzir defeitos congênitos nos seus filhotes. Depois de mortos, eles são dissecados.

Depois das denúncias da PETA, o governo americano multou o centro de pesquisas em cerca de 12 mil dólares, por violação da Lei de Bem-Estar Animal, que rege as normas para pesquisa animal nos EUA. Valor pífio, se comparado com a quantidade de dinheiro de impostos que é injetada na instituição.

Abaixo você irá conferir em vídeo a realidade desses laboratórios. É uma realidade não apenas cruel ética e moralmente, como inaceitável, em termos científicos. Muitos dos experimentos realizados em tais lugares não possuem qualquer replicabilidade em humanos, mesmo assim, o governo investe quantidades monstruosas nesses experimentos inúteis. Achar que tudo isso é justificável pela ciência, isso sim, é a loucura no seu mais alto grau.

Fonte: PETA

Anúncios

Uma ideia sobre “A psicose induzida em macacos de laboratório

  1. Plínio Damázio

    Fatos reais, cenas revoltantes! A omissão conveniente dos governos define muito bem quais são os seus verdadeiros e únicos interesses. E a quem em contrapartida, atendem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s