Contrariando alerta dos vivissectores, beagles do Royal estão saudáveis

Quando o resgate dos beagles foi realizado no Instituto Royal, em São Roque (SP), alguns pesquisadores disseram que eles representavam um risco à população, devido aos testes aos quais estavam submetidos. De acordo com os vivissectores, vírus e doenças poderiam ter sido transmitidos às famílias que adotassem os cães. Contrariando o alerta, os cães, atualmente, passam bem de saúde, emocional e física.

O alerta dos cientistas não se concretizou. Foto: beagles recuperados, atualmente.

O alerta dos cientistas não se concretizou.
(Foto: beagles recuperados, atualmente)

O Instituto Royal foi tomado por ativistas no dia 18 de outubro de 2013. Na época, aproximadamente 200 animais foram retirados do laboratório, que realizava testes de cosméticos, produtos de limpeza e agrotóxicos. O Ministério Público investiga a acusação de maus tratos; recentemente, o laboratório fechou as portas.

Conversamos por-email com duas pessoas no último dia 26 (janeiro de 2014), a fim de investigar a situação atual dos beagles resgatados. Uma delas, ativista da causa animal que participou do resgate, informou que os cães, no início, eram animais medrosos e traumatizados. “Não eram cães normais. Eram assustados e tinham muito medo. Você não faz ideia de como era”, disse.

Segundo a protetora, os beagles viviam em condições deploráveis, sem um ambiente climatizado e adequado. Apesar de ser intimada a depor por crime de invasão de propriedade privada, ela não está com nenhum cão atualmente, pois foram adotados. “A verdade tem que aparecer”, afirma. Ela informou que todos os cachorros estavam com anemia, em nível grave.

“É importante ficar claro que as pessoas que resgataram os animais não eram ‘vândalos’ ou ‘baderneiros’, mas advogados e protetores da causa animal, que possuem família e ação de resgate de animais de rua, com 10 anos ou mais na causa”, alerta a protetora.  “Eles gritavam muito lá dentro, por isso entramos”, revela. Ainda, ela conta que muitos cães estavam com sinais de tumor e que o número de animais resgatados é maior do que o divulgado pelo Instituto.

Já uma advogada, que presenciou todo o processo de resgate e denúncia do Royal, confirmou que o estado de saúde dos beagles era grave. Sua identidade também será preservada e mantida no anonimato.

Como está o estado de saúde atual dos beagles resgatados?

Todos estão com ótima saúde; ao contrário do que foi dito, na época, de que iram passar doenças para as pessoas, eles estão bem. Apenas um deles, Ricardinho, que teve os molares arrancados e as mandíbulas cerradas, em experiências de próteses dentárias no Instituto, ainda passa por tratamento, pois não houve calcificação completa, por causa da sua idade.

Quais eram as complicações de saúde dos cães logo após o resgate?

Praticamente todos apresentavam anemia profunda. Acredito que era devido aos exames de sangue, feitos com frequência nos cães. Recebi documentos informando que dentistas pagavam para a realização de experimentos odontológicos, nos beagles. Fui chamada na época, pois havia suspeita de maus tratos. Realizamos um boletim de ocorrência e tentamos falar com todas as autoridades, mas não obtivemos sucesso.

Onde estão os beagles retirados do laboratório?

Eles foram doados para famílias que não participaram do resgate.

Além dos cães, coelhos e ratos também foram tirados de lá. Tem alguma informação do estado de saúde dos mesmos?

Nenhum óbito foi informado até agora. Todos estão bem.

Sir Willians – beagle resgatado e tomado da família, pelo Instituto, ainda não foi encontrado.

Sir Willians – beagle resgatado e tomado da família, pelo Instituto, ainda não foi encontrado.

O Instituto Royal conseguiu de volta algum animal resgatado?

Sim, apenas um beagle, o Sir Willians. Infelizmente ainda não sabemos onde ele se encontra, mas faremos um ato para resgatá-lo.

Eles realizavam testes de cosméticos?

Sim, inclusive de produtos de limpeza e agrotóxicos. Porém, o Royal possuía licença de funcionamento de um canil, para atuar em São Roque, com número máximo de 178 animais, por isso eles citam esse número; mas imagino que havia bem mais. Um canil jamais pode funcionar como um laboratório científico.

Quanto ao processo de invasão de propriedade privada, o que poderá acontecer com os ativistas?

Se partirmos da premissa de que houve um resgate dos animais, devido ao crime de maus tratos, então falamos de um estado de necessidade e emergência, portanto, não se configura em invasão.

Anúncios

25 ideias sobre “Contrariando alerta dos vivissectores, beagles do Royal estão saudáveis

  1. Pedro Abreu

    Em nome da ciência? Cura do câncer? Taí os testes que eram realizados no Instituto Royal:
    https://drive.google.com/file/d/0B3D4CqVPhKFRSTJIRTIyQ21hQWc/edit?usp=sharing

    VEJA TAMBÉM
    Ao leitor que queira ter uma visão mais ampla sobre o assunto, recomendo esses dois excelentes artigos:

    Moralidade da experimentação animal: o que é relevante e o que não é:
    http://www.anda.jor.br/20/10/2013/debate-moralidade-experimentacao-animal-relevante-nao

    O Doutor e Biólogo Molecular, Frank Alarcón, acerca da terrível e ignorada realidade da experimentação em animais:
    http://www.anda.jor.br/25/11/2013/pesquisador-responde-a-presidente-da-sbpc-defensor-do-uso-de-animais-em-testes

  2. Marcos Autor do post

    Pedro, até agora não tinha a confirmação de que eles faziam testes de cosméticos nos Beagles, pois o tal do Pirulla (vlogger que ganha dinheiro às custas do holocausto animal), veio me dizer que isso não ocorria com os cães (inventou isso, claro). Ele foi um dos alarmistas, junto com o “Euateu” – não sei se você conhece-, que afirmaram que doenças seriam transmitidas e que os animais não iriam sobreviver. Mas a verdade está aparecendo com força nesse caso.

    Com o documento, podemos ver a realidade daquele Instituto pseudocientífico. Na época, quando li aquele papo de “cura do câncer”, dei risada. É claro que isso era uma forma de fazer as pessoas ficarem contra o resgate.

    O Luciano Carlos Cunha é uma referência quando o assunto são os testes com os animais. Já li vários artigos dele e em breve vou fazer uma indicação dos mesmos por aqui.

    Já o texto do biólogo é excelente. O que acontece nesses laboratórios precisa ser revelado. Quando o caso Royal veio à tona, vários cientistas vieram falar que o governo faz uma “fiscalização rigorosa” nos laboratórios. Uma enorme piada. Aí fizeram um levantamento e quase metade dos institutos funcionavam de forma irregular. Obrigado pelas indicações.

  3. Pedro Abreu

    Sim, Marcos, tive o enorme desgosto de conhecer as abordagens estupidamente superficiais e insensíveis, tanto do Pirulla, quanto do Euateu.

    Acerca da regularidade ou não do famigerado Instituto Royal, taí mais munição para o seu Blog:

    Deputado Fernando Capez comprova, em depoimento, que o Instituto Royal funcionava em situação totalmente irregular:

  4. Marcos Autor do post

    Pedro, a advogada que entrevistei confirmou que o alvará do Royal estava irregular. E a mídia algum momento falou isso? Eu não vi em lugar nenhum.

  5. ALMIR DUARTE DE OLIVEIRA

    ACHO TODA ESSA ARGUMENTAÇÃO UMA GRANDE FARSA. FAZ-ME LEMBRAR O QUE LÍ SOBRE A IDADE MÉDIA. ESQUECEM, OS DEFENSORES DA INVASÃO AO INSTITUTO, DE QUE TODAS AS PESSOAS QUE SE VACINAM, USAM ANTIBIÓTICOS E ANTIINFLAMATÓRIOS, PQ UMA INFINIDADE DE ANIMAIS FORAM USADOS PELO DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA. VIVEMOS UMA NOVA IDADE MÉDIA.

  6. Marcos Autor do post

    Almir, você deve saber que metade dos medicamentos são retirados do mercado, depois de 5 anos, mesmo com a pesquisa animal, não? Você também deve saber que a vacina da varíola foi descoberta sem nenhuma experimentação animal – sabe? Você também deve saber que os antibióticos nunca garantiram a nossa expectativa de vida, ou não? A Idade Média foi superada, em termos de saúde, quando as condições de higiene e saneamento básico melhoraram. Antes de escrever um monte de bobagens, estude e se informe. Se algo é retrógrado, é o seu pensamento.

  7. Pedro Abreu

    ALMIR: Eu deixar de usar algo que um dia foi testado em um animal não irá trazê-lo de volta, nem tampouco compensar todo o sofrimento infligido.

    Se é pra pensar assim, deixemos de usar a panela de teflon, a margarina, e até o computador que você usou pra postar essa mensagem, uma vez que são todos frutos de guerras.

    No mais, torturar e matar um animal senciente pra fazer um teste de toxicidade oral aguda de um detergente (vide documento do primeiro post), isso sim eu chamaria de idade média.

  8. ALMIR OLIVEIRA

    MARCOS.
    O NÍVEL DE SUA ARGUMENTAÇAO EH DE UMA ARIDEZ CIENTIFICA QUE ME IMPEDE TENTAR CONVENCE-LO DA IMPORTÂNCIA DA EXPERIMENTAÇÃO NO DESENVOVIMENTO DA CIÊNCIA COMO UM TODO. A CADELA LAIKA FOI SACRIFICADA PARA O HOMEM CHEGAR NA LUA. A PROPÓSITO, NÃO ESQUEÇA DE VACINAR SEUS FILHOS E MEDICA-LOS COM ANTIBIÓTICO EM CASO DE UMA PNEUMONIA. ÊH SOH.

  9. Marcos Autor do post

    Almir, os fins não justificam os meios. Você aceitaria que torturássemos crianças para que “avanços científicos” sejam feitos? Você está sendo especista. Se você soubesse que a sua água vem da escravidão infantil, deixaria de tomar água? Novos métodos precisam ser descobertos.

    O nível do seu debate é tão baixo e tão esdrúxulo que você está escrevendo tudo em Caps Lock. Bom, assim fica fácil ver quem está com a razão.

  10. Marcos Autor do post

    Pedro, parece que esse tal de Almir não está interessado em conhecer o outro lado da questão. Ele só está apelando para o argumento da sobrevivência – tipo, “se não fosse a pesquisa animal, você estaria na Idade Média ou podre de doente”. Chantagem suja.

  11. Martinez

    A vacina da variola pode ter sido sem o uso do animal irracional porém Incontáveis experimentações feitas em seres humanos trouxeram benefícios à sociedade, citando entre elas a prevenção do escorbuto; a própria vacina contra a varíola; a vacina contra a raiva; a descoberta da insulina; os estudos sobre a febre amarela; a prevenção da pelagra; as pesquisas sobre a dengue; e a história das pesquisas em anestesiologia, ainda hoje se fazem experimentos em humanos, lá na África por exemplo fazem o que querem com povo mas é claro que isso nunca será divulgado abertamente, mas caso vc tenha a Deep web, pesquise um pouco sobre EXPERIMENTOS EM SERES HUMANOS, a onde quero chegar? bem!, acho muito bom que pessoas se preocupem com os animais mas há de se ressaltar que temos em nosso meio de convivio humano muitos problemas em relação a esse negócio de atrocidades em pró da ciência, muitos acham que após a Segunda Guerra tudo acabou…ah quem dera, vivemos em uma época que se não é igual porém é QUASE igual em termos de experimentos em seres HUMANOS só que tudo hoje é feito no mais obscuro submundo, deixo uma duvida no ar, ANIMAIS irracionais ou HUMANOS qual deve ser a nossa PRIMEIRA preocupação?.

  12. Marcos Autor do post

    Martinez, de fato a pesquisa animal não é absolutamente inútil, entretanto, não podemos assumir um pensamento derrotista de que, hoje, não temos nenhuma alternativa para esta metodologia. O assunto envolve dinheiro, principalmente, porque o governo NÃO investe em pesquisas alternativas. De qualquer maneira, a fase clínica é inevitável. O que ocorre é que a experimentação animal tem baixo valor preditivo.

    Agora, atualmente a própria neurociência reconhece que a consciência não é um privilégio dos homens. Nós não somos os únicos racionais, porque se pensarmos assim precisaríamos definir em que parte da nossa evolução biológica, um processo surgiu, somente em uma espécie, sem existir em outras, nem que seja, em menor complexidade. A preocupação com os animais é uma tarefa nobre, porque eles não tem como se defender. Abraços!

  13. Pedro Abreu

    Martinez: não existe “primeira preocupação”. Pessoas engajadas com a causa animal são pessoas altamente empáticas, e que se sensibilizam e lutam em prol de causas humanitárias da mesma forma.

    E se for deixar pra lutar pelos direitos dos animais quando todos os problemas humanos estiverem resolvidos, quando é mesmo que você acha que isso vai acontecer??? Fala sério…

  14. Martinez

    Pedro,

    Dá para notar que vc é um defensor meio fanático.

    “E se for deixar pra lutar pelos direitos dos animais quando todos os problemas humanos estiverem resolvidos, quando é mesmo que você acha que isso vai acontecer??? Fala sério…”

    Em qual parte eu disse isso?.

    Acho que vc foi infeliz ao colocar esta frase, primeiramente para se começar um debate produtivo é preciso ser flexivel as idéias colocadas pela outra pessoa e principalmente saber interpretar o comentário lido, no entanto já vi que se eu estender minha opinião referente ao que vc escreveu, que começou razoável e acabou nisso aí!, será inutil!, FUI!.

  15. Martinez

    Marcos,

    Apenas fiz esse comentário pois achei que esse blog trataria também de outras causas que para mim vejo como mais importantes (não que essa não seja) mas nossa espécie ao meu ver se encontra em uma situação pior e por diversas razões, por isso seria ao meu ver interessante que vc também caso pudesse, abranger assuntos que fale de problemas sociais que para muitos são ocultos devido a alienação em que vivem.

  16. Guilherme

    Seria bom mesmo aqueles que acreditam que “animais” são feitos para esse tipo de pesquisa se colocarem como os próprios “animais” que farão parte desta pesquisa… Nada mais justo do que isso, alias, os resultados saem muito melhores, não?

    Lamentável os comentários aqui… , veja que não será difícil encontrar racistas e ou neonazistas em meio aos opositores de uma reforma como essa…

    Marcos, você já sabia que essa “oposição” ia aparecer cedo ou tarde, não se desanime por causa disso.

    Entenda que essa situação é quase a mesma de você estar diante de traficantes de drogas e tentar “convertê-los”. Certamente eles te recebem ou com um revolver ou com um fuzil. Essa é a “racionalidade” deles (“com o barato da droga tio, eu posso muito mais — relato de um drogado”, um tempo depois ele acaba morto pelo seu próprio “vício”…)

    Outro dia vi um no bar querendo dar uns pipoco em outro porque ele dizia que era a maneira mais rápida de acabar com os problemas…

    Outro dia vi um “botando o pé no acelerador” para chegar mais rápido, para mais rápido resolver seus problemas… tirou a vida de muitos, gerou revolta em várias famílias… mas resolveu “seu problema”…

    Sem mais comentários…

  17. Pedro Abreu

    Martinez: eu sou flexível, mas a sua opinião é ignorante (e especista, o que é mais complexo e não vem ao caso, no momento).

    O problema animal É TAMBÉM problema humano. O que estamos fazendo pra trucidar 50 bilhões de animais terrestres, e trilhões de animais aquáticos por ano, é atualmente a maior causa de extinção, poluição e aquecimento global.

    O consumo de carne como o que estamos fazendo hoje é absolutamente insustentável sob o ponto de vista ambiental a médio e longo prazo, e a nossa própria sobrevivência (como também a de outras espécies desse planeta), depende que mudemos esse paradigma.

    Para compreender o que eu estou dizendo, assista ao documentário:

    (Já postado na seção de documentários do blog)

  18. Marcos Autor do post

    Guilherme, de fato, precisamos ter empatia com os animais; porém algumas pessoas não tem essa disposição, porque as antigas crenças ainda as dominam.

    E Pedro, o que você falou é verdade. O problema dos animais não é algo “separado” da nossa realidade. Está interligado, profundamente. Muitos ainda não se deram conta disso.

  19. Martinez

    Pedro,

    “Martinez: eu sou flexível, mas a sua opinião é ignorante (e especista, o que é mais complexo e não vem ao caso, no momento).”

    Como eu havia dito antes o experimento em seres humanos é uma coisa tão “normal” quanto em animais irracionais, mas engraçado que isso parece não chocar muito as pessoas porque será? seria porque a grande midia não divulga? o SP TV mostrou a matéria dos beagles e aí todos ficaram chocados, mas e se não mostrasse? atrocidade piores contra seres humanos acontecem aos montes e para mim tem de haver prioridade sim!, olha esse documentário e pare um pouco de se guiar pela grande midia

  20. Marcos Autor do post

    Martinez, nós sabemos que o ser humano já escravizou a si mesmo, agora, o que dizer do que seria capaz de fazer com as outras espécies, quando nem respeito pelos membros da mesma cultura, este possui? A experimentação humana, quando feita com ética e rigor científico, é perfeitamente possível. Porém, uma causa não exclui a outra. E tenha certeza: enquanto não soubermos tratar as outras espécies de maneira decente, haverá guerra nesse planeta. E a grande mídia, não quer mesmo saber disso.

  21. Clove

    Legal, agora não tem mais laboratório que faça testes em animais no Brasil. Agora que o governo está investindo na fosfoetanolamina, quem é que vai testar a toxicologia o remédio? Vai ter que ser feita no exterior e vai atrasar ainda mais o desenvolvimento do remédio. Parabéns ativistas, vocês só atrapalham a ciência no Brasil !!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s