Estudos neurológicos em animais têm conclusões tendenciosas

Análise revela que quase metade dos estudos de testes neurológicos em animais apresentam conclusões tendenciosas.

Fracassos da experimentação animal são ignorados.
Fracassos da experimentação animal são ignorados, aponta estudo

Um estudo publicado em 2013, na revista científica PLoS Biology, afirma que as pesquisas neurológicas em animais apresentam excesso de falso positivo.¹

Foi realizada uma análise estatística de mais de 4 mil conjuntos de dados de estudos com animais. Os autores constaram que os resultados estatisticamente significativos são duas vezes maiores do que o esperado, chegando a 40% – quase o dobro do previsto.

Dos 4.445 estudos, esperava-se que 919 obtivessem resultados significativos, no entanto, isso foi encontrado em 1.719 pesquisas. Uma das razões para isso acontecer, segundo os autores, é o fato de os cientistas terem uma tendência em ignorar resultados contrários e negativos às suas hipóteses. Entretanto, eles também alegam que estes dados não significam que a pesquisa animal é sem sentido, mas que ela precisa ser mais controlada e rigorosa.

Referências

TSILIDIS, Konstantinos K. et al. Evaluation of excess significance bias in animal studies of neurological diseases. PLoS biology, v. 11, n. 7, p. e1001609, 2013. [Link]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s